10 de fev de 2012

Do meu coração e outros objetos não descritíveis matematicamente...


Quantas faces tem o amor?

Será que são retas cruzadas?

Será quadrado, terá quantos lado?

Será triangulo? Terá muitos ângulos?

Será volumétrico? Será perimétrico?

Será paralelepípedo?

Quais serão as arestas?

Será que tem frestas

que expliquem tanta dor?

Quem conhece a geometria

que descreve a fantasia

que é o amor?

Sera que existe uma equação,

um conjunto, uma união,

talvez intersecção

que descreva o amor?

Será que apelo pra álgebra?

E todo dia na minha casa

tento calcular o amor?

Será que a matemática,
 
como sempre, tão prática

descreve uma coisa tão lunática

quanto o amor?
 
 
Ana Patrícia Brito de Carvalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua Opinião é muito importante para futuras melhorias no Blog do CAMAT/UFMT/CUR...

Agradecemos pelos comentários.